Segunda-feira, 31 de Julho de 2017

Processos de transformação social

"A morte prematura de Hugo Chávez em 2013 e a queda do preço do petróleo em 2014 causou um abalo profundo nos processos de transformação social então em curso."

Esta citação de Boaventura Sousa Santos, do artigo citado no "post" anterior, expõe os princípios a que o autor se cinge quando analisa os acontecimentos da Venezuela.

Há um processo de transformação social em curso em direção a um qualquer ideal social, perante o qual muitos factos incómodos podem ser ignorados. Os princípios éticos e políticos devem ser aplicados em subordinação a este fim mais elevado da revolução em curso.

Vamos ignorar as violações dos direitos de cidadãos, de jornalistas, de magistrados, de deputados, etc, que não se encaixam e perturbam a revolução bolivariana. Não importa a riqueza da família Chávez, o nepotismo da seleção de deputados da Constituinte, o sequestro do poder legislativo pelo executivo através da corrupção do judicial. Nada do que se opõe à revolução, ao processo de transformação social, interessa. 

Compreendo esta conceção porque já a tive inscrita no meu quadro mental. Em 1984, conclui que estava errado. Toda a minha forma de julgamento político cinge-se a princípios superiores aos factos que analiso. Pouco importa que simpatize ou não com Sócrates, Dilma ou Lula. Quando se trata dos factos de que são acusados, apenas estes estão em causa e não qualquer processo em curso. O que desejo é que se chegue à verdade e que paguem o preço dos seus erros.

publicado por Redes às 21:18
link do post | comentar | favorito
|

"Colectivos" - o partido armado na Venezuela

Venezuela

«A agência EFE avança que outros dois activistas da oposição, Marcel Pereira e Iraldo Guitérrez, foram mortos em Mérida por elementos dos "colectivos" – grupos armados afectos ao Governo venezuelano.»

https://www.publico.pt/2017/07/30/mundo/noticia/maduro-deitou-o-primeiro-voto-pela-paz-mas-o-sistema-nao-reconheceu-o-seu-nome-1780808

Os "Colectivos" são o partido armado chavista - a inovação que Mussolini e Hitler aprenderam de Lenine e que depois, todos os outros repetiram. Enquanto participam nas eleições "burguesas", preparam-se para a revolução socialista, proletária, peronista, agora, a bolivariana, pela força (não poderia ser de outra forma). Guardas vermelhos, camisas negras, camisas castanhas, etc e, agora, colectivos na Venezuela.

publicado por Redes às 00:40
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 29 de Julho de 2017

Nicolás Maduro defendido por Boaventura Sousa Santos

"Em defesa da Venezuela" é o título do artigo de BSS no Público.

A primeira manobra de retórica é mesmo essa sinédoque de chamar Venezuela ao governo de Maduro.

Não percebo o que é que leva Boaventura Sousa Santos a defender o presidente da Venezuela. Fala em "revolução bolivariana", em petróleo, em pôr os pobres contra o governo, coisas que não vêm ao caso do que vemos todos os dias. Não nos traz qualquer nova informação a respeito do essencial que nos permita alterar o nosso juízo.

Culpa os EUA da deterioração da situação:

"A situação foi-se deteriorando até que, em dezembro de 2015, a oposição conquistou a maioria na Assembleia Nacional."

Que a oposição tenha ganho as eleições é algo perfeitamente normal em democracia. BSS não responde à questão de onde é que está o problema, se na oposição, se no governo.

"O Tribunal Supremo suspendeu quatro deputados por alegada fraude eleitoral, a Assembleia Nacional desobedeceu, e a partir daí a confrontação institucional agravou-se e foi progressivamente alastrando para a rua, alimentada também pela grave crise económica e de abastecimentos que entretanto explodiu."

BSS não avalia os motivos por que a Assembleia Nacional não aceitou a suspensão dos deputados pelo Tribunal Supremo. Se há motivos válidos ou não para duvidar da correção desta sentença, se podemos aceitar que há uma separação de poderes efetiva entre o legislativo e o executivo, se a decisão do tribunal não tinha a intenção de estragar a maioria obtida pela oposição.

"Entretanto, o Presidente Maduro tomou a iniciativa de convocar uma Assembleia Constituinte (AC) para o dia 30 de Julho e os EUA ameaçam com mais sanções se as eleições ocorrerem. É sabido que esta iniciativa visa ultrapassar a obstrução da Assembleia Nacional dominada pela oposição."

É aceitável em termos políticos ultrapassar a obstrução do parlamento com uma mudança de regime? A constituinte que Maduro propõe vai contra os partidos que serão substituídos por uma distribuição dos representantes de acordo com categorias pre-fixadas por ele: tanta percentagem para trabalhadores, tanta para índios, tanta para aposentados, etc. Na democracia representativa, só existe uma categoria: cidadãos. Se há liberdade de associação e os cidadãos têm que eleger representantes, é natural que haja "partidos" e que todos os possam criar se tiverem apoios suficientes de outros cidadãos para isso, o que tem acontecido muito na Europa.

Se há uma maioria que foi eleita democraticamente com a mesma constituição que elegeu Chavez e Maduro e que não concorda com o processo da Constituinte, que tem visto os seus poderes capturados por um poder judicial que, tudo indica, é uma mera extensão do executivo, que pode fazer, senão protestar?

É esse direito que é rejeitado por BSS. A oposição teria que aceitar a "revolução bolivariana", de acordo com BSS, e não protestar.

"Mas nada disso justifica o clima insurrecional que a oposição radicalizou nas últimas semanas e que tem por objetivo, não corrigir os erros da revolução bolivariana, mas sim pôr-lhe fim "

Para mim, o importante é ver quem está a fazer jogo sujo, quem está a abusar do seu poder e é para mim evidente que é o governo com a cumplicidade do Tribunal Supremo e não a Assembleia Nacional, dominada pela oposição.

Concluindo, é em nome dessa sua posição - a revolução chavista - e não da democracia formal (representativa) que BSS intervém.

Tudo o que ele diz sobre petróleo, EUA, neo-liberalismo, etc. não passa de tretas, as mesmas que falam do bloqueio a Cuba como causa da sua miséria e não veem a falência do modelo económico e político cubano, ou chavista.

publicado por Redes às 21:58
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28

30


.posts recentes

. Processos de transformaçã...

. "Colectivos" - o partido ...

. Nicolás Maduro defendido ...

. Avaliação da Homeopatia

. Deve o exame condicionar ...

. Bloomberg desvaloriza efe...

. Tratados ortográficos int...

. Acordo Ortográfico: Decla...

. Aniversário da Revolução ...

. Encontro sobre o Acordo O...

.Blogs das minhas desoras

.Extreme Tracking

eXTReMe Tracker

.Wikipédia

Support Wikipedia

.arquivos

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO