Sexta-feira, 11 de Janeiro de 2013

Os homens de que precisamos - Rui Tavares

 

Rui Tavares é um dos homens de que precisamos neste país.

Este homem devia ser mais do que eurodeputado, no interesse público!

Há os que estão preocupados com a roubalheira, com o deve e o haver das contas públicas e com o consumo excessivo do povo português que vive acima das suas possibilidades, mas não apontam o dedo para as caras certas, nem fazem todas as perguntas incómodas. Não digo que não tenham razão no que dizem, mas faltam-lhes muitas razões, para poderem exibir limpidamente a que eventualmente tenham.

Pelo contrário, Rui Tavares, diz-nos para onde devemos olhar quando falamos de contas públicas. Agora, que vamos pagar mais um banco falido - o BANIF, recordo o que Rui Tavares escreveu a propósito do BPN, há algum tempo ("Requisitório ao regime", Público, 31 Dezembro 2012).

Aponta o dedo a Duarte Lima, Oliveira e Costa, Dias loureiro, Aprígio Santos, Almerindo Duarte e outros que benficiaram de dezenas de milhões de euros em empréstimos perdulários que os portugueses estão a pagar agora.

E pergunta: como é que o governo pode estar a cortar rendimentos dos cidadãos na ordem dos milhares de milhões de euros e simultaneamente estar a envividar-se em cerca de 3,5 mil milhões para pagar este buraco?

Temos que exigir duas coisas: que os que devem dinheiro ao BPN paguem cabalmente as sua dívidas ou que sejam processados como acontece a quem não consegue pagar o empréstimo para a habitação.

Lembro-me de Teixeira dos Santos dizer que os contribuintes não iriam pagar nada do BPN(1)! Como me recordo de ouvir Sócrates assegurar que SCUT, alta velocidade e aeroporto não teriam custos para o Estado (2). - Deviam ser processados por burla, tendo em consideração as garantias que deram aos privados nesses contratos que nos custam os milhões anuais que todos sabemos.

Eles (que são também, estes, agora, o BANIF, vai mostrar que são sempre os mesmos!) esperam que nós nos esqueçamos do que eles disseram, que os custos do BPN, do BANIF e outros que tais se diluam na dívida pública como uma doença crónica num corpo já doente, tanto de doença quanto de cura.

 

Não tenham a menor dúvida: para esta elite, vocês, milhares de reformados, funcionários públicos e trabalhadores que vivem dos seus salários, valem menos do que aquelas dezenas de nomes que vieram do cavaquismo ou do soarismo e vivem à conta do orçamento de estado.

 

(1)«A nossa preocupação aqui é, de facto, fazer com que os eventuais custos sejam mínimos e, se possível, que não haja custos para os contribuintes que resultem desta operação», disse Teixeira dos Santos. Onde está ele agora? (http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1038904)

(2) O TGV seria financiado pelo Estado em 40%, o resto seria investimento comunitário. Estaria a contar em recuperar com a exploração 38%. É este otimismo delirante que nos custaria mais milhões de endividamento. Como aconteceu com os estádios de futebol em que o mesmo Sócrates esteve envolvido, antes de ser governo.

publicado por Redes às 16:59
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Avaliação da Homeopatia

. Deve o exame condicionar ...

. Bloomberg desvaloriza efe...

. Tratados ortográficos int...

. Acordo Ortográfico: Decla...

. Aniversário da Revolução ...

. Encontro sobre o Acordo O...

. O Acordo Ortográfico entr...

. O reino de Walter Hugo Mã...

. Defesa da escola pública ...

.Blogs das minhas desoras

.Extreme Tracking

eXTReMe Tracker

.Wikipédia

Support Wikipedia

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO