Terça-feira, 14 de Maio de 2013

Educação: o modelo de Singapura

 

Paulo Prudêncio. autor do blogue Correntes, chamou-me a atenção para um post sobre política educativa (A ESCOLA PÚBLICA. O que virá a seguir) no blogue Atenta inquietude do Zé Morgado. O artigo pareceu-me deslocado tanto em termos retóricos quanto informativos, pois, é declarado um conhecimento privilegiado das intenções governamentais para a seguir se apresentarem orientações que nenhuma corrente política conhecida defende.

Parece-me que temos de alicerçar as nossas reivindicações com base num conhecimento efetivo. Se nos basearmos no "diz que disse" político, as nossas posições serão facilmente desmentidas e postas a ridículo pelos governantes.

Creio que o debate da "escola pública" seguiu esta direção por o ministro da educação ter declarado que o modelo já não era a Alemanha, mas sim Singapura.

Vou fazer algum trabalho de pesquisa e elencar as caraterísticas do sistema educacional daquela cidade-estado que tanto atrai a atenção dos nossos decisores.

  • Mais de 80% dos jovens cumprem os 16 anos de escolaridade obrigatória.
  • O primário vai até ao 6º ano.
  • No final do primário, os alunos são sujeitos a um exame chamado "primary school leaving exmination", em Inglês, Língua Materna, Matemática e Ciências, constituído por várias provas orais e escritas, cujos resultados decidirão o tipo de  currículo a seguir no ensino secundário.
  • No final do secundário, os alunos fazem exames que variam de acordo com o currículo que tiveram.
  • No secundário, há quatro tipos de currículos: Normal (T), isto é technicNormal (A), isto é, academic, Express e Special Express.
    • Em função do desempenho do aluno, os professores e o diretor da escola podem propor que um aluno salte do currículo "normal" para o "express".  O "special" e o "express" parecem ser os mais exigentes.
    • No final do secundário, os alunos fazem exames que certificam a sua habilitação: 
      • GCE "O" Level para o Express eo Special Express
      • GCE "N" Academic Level para o currículo "Normal academic"
      • GCE "N" Technical Level para o currículo "Normal Technic".
        • Há aqui uma hierarquia. Um aluno que revele um bom desempenho no currículo normal "técnico" pode aceder ao GCE Ordinary Level utilizando um quinto ano de preparação no secundário. Se não for o caso, pode ter sempre a sua habilitação "técnica".
    • A seguir ao GCE "O" Level que culmina no que corresponde, grosso modo, ao terceiro ciclo em Portugal e é a "compulsory education" de Singapura, os alunos podem ir para uma escola que os prepara para o GCE A level que inclui uma enorme variedade de disciplinas, no que corresponde ao nosso Secundário e dá acesso aos cursos universitários.
  • Muitos conteúdos são trabalhados em inglês, uma segunda língua e não a língua materna da maioria dos jovens de Singapura. Esta informação torna mais admirável o desempenho que eles atingem em leitura, em ciência e matemática.
  • A média de alunos por turma é 35 alunos, de onde não me parece arriscado concluir que há turmas de 20 a 40 alunos.
  • A contratação de professores está centralizada no ministério da educação e não relegada para autoridades locais ou para as escolas.
  • As aulas do currículo fundamental são todas de manhã e as atividades extra-curriculares à tarde.
  • As finalidades de ordem ética e moral explicitam sentimentos, como o amor a Singapura, capacidades de interação social, mas também o raciocínio moral independente que implicam, sobretudo no secundário e no pré-universitário, uma forte formação humanística.
  • No currículo do ensino primário fala-se em "skills" e não de "competences", isto é genericamente um saber que pode incluir teoria, prática e habilidade desenvolvida pelo estudo ou pelo treino.
    • Distinguem-se "life skills" de "knowledege skills". As primeiras incluem educação para a saúde, física, moral e nacional, entre outras. As segundas classificam-se em três áreas: matemática e ciências; inglês e língua materna; humanidades e artes. O trabalho de projeto é incluído como uma atividade transversal às três áreas, e não como uma disciplina. Nas artes inclui-se a música e as artes e trabalhos manuais ("arts and crafts").

 

Este trabalho foi publicado pela primeira vez em 14 de Maio às 12 e 49 e reformulado na data que se anuncia.

 

Continuarei com a sua reformulação assim que puder e achar conveniente.

 

Bibliografia:

 

Embaixada do Brasil em Singapura

 

Ministério da Educação de Singapura

 

Singapore Examinations and Assessment Board

 

Calendário de exames do ensino primário (equivalente ao nosso 6º ano)

 

Singapore-Cambridge GCE Advanced Level

 

publicado por Redes às 12:49
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De paulo prudêncio a 14 de Maio de 2013 às 22:33
Excelente Luís, se me permites. Concordo com os teus pressupostos.


Também me surpreendeu o "claro exagero" do post do José Morgado. E surpreendeu-me porque acompanho o blogue e nunca o tinha visto nessa condição. É estranho, no mínimo.


Obrigado.


De José Morgado a 15 de Maio de 2013 às 23:25
Olá Luís, Já tive oportunidade de esclarecer que o texto que coloquei no Atenta Inquietude foi um exercício "burlesco" de critíca à política em curso. Estranhei que não se percebesse o teor do texto (certamente por inabilidade minha) mas fiquei ainda mais preocupado com o facto de que aspectos que referi pudessem ser considerados sequer hipóteses a ponderar, como 50 alunos por turma, fábricas para trabalho infantil, exame nacional no pré-escolar, etc. Pensar-se que isto é algo de sério é que me assustou verdadeiramente como tradução do ambiente e clima que se vive entre nós profissonais da educação, já admitimos que isto pudesse ser uma decisão política. Um abraço


De Redes a 16 de Maio de 2013 às 18:51
Olá,


Creio ter entendido essa intenção. Por isso, escrevi: "O artigo pareceu-me deslocado tanto em termos retóricos quanto informativos".
A referência a uma fonte torna compreensível uma leitura "à letra".


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. "Tablets" e computadores ...

. Desventuras de Maria do C...

. A revolução russa vista p...

. Processos de transformaçã...

. "Colectivos" - o partido ...

. Nicolás Maduro defendido ...

. Avaliação da Homeopatia

. Deve o exame condicionar ...

. Bloomberg desvaloriza efe...

. Tratados ortográficos int...

.Blogs das minhas desoras

.Extreme Tracking

eXTReMe Tracker

.Wikipédia

Support Wikipedia

.arquivos

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO