Segunda-feira, 14 de Setembro de 2015

O rapaz, o lobo, a ovelha e a alface - um enigma e um algoritmo

 

 

Conhecem decerto o enigma do rapaz, do lobo, da ovelha e da alface... O rapaz tinha de levar os três de uma margem para a outra dum rio num pequeno bote onde só cabia ele e um dos elementos da carga.

Se levasse o lobo, a ovelha poderia comer a alface; se levasse a alface, seria a ovelha a ser comida pelo lobo. Teria que levar a ovelha, é claro. Mas, depois, na segunda viagem, não poderia levar nem o lobo nem a alface... Tudo se resolve se levar o lobo e, no regresso, trazer a ovelha. Assim, na terceira viagem já pode levar a alface para ao pé do lobo e deixar a ovelha à espera, sozinha. Na quarta viagem, vai de novo tranquilamente a ovelha.

O enigma tem muitas dificuldades que podemos considerar impertinentes face ao penigma01.JPGroblema que se quer resolver. Por exemplo, como pode uma alface ocupar o mesmo espaço dum lobo ou duma ovelha? Porque transportaria o rapaz um lobo?

A estas impertinências, dedica-se Allan Allberg no livro, que tem o título do enigma. Li-o até ao capítulo II onde ele conta a versão do rapaz na qual continua a haver lobo, ovelha e alface, mas deixa de haver enigma.

Quando falei do enigma ao Pedro, um rapaz que tem catorze anos e é aluno de Matemática dum amigo meu, ele disse-me logo:

- Esse enigma é uma história muito mal contada. Como é que uma alface tão pequenina pode constituir um problema de transporte? O caso é que ela é uma rapariga da minha turma que tem a mania de se vestir muitas vezes de verde-alface. É por isso que nós lhe chamamos Alface. A Ovelha também é da minha turma. Chamamos-lhe assim porque ela está sempre a lamentar-se como se fosse uma ovelha a balir. E o Lobo? É o meu amigo António que é Lobo de apelido.

Fiquei chocado. Ainda lhe chamei a atenção:

- Ouve lá. Este enigma é muito antigo...

Mas ele nem ligou e continuou:

- Eu vou contar-lhe a história, mas promete não contar aos meus pais, ok? Bem, é que isso aconteceu numa noite em que disse à minha mãe que ia ficar a dormir na casa do Lobo para estudarmos para o teste de Matemática. Além de fazermos isso, fomos à discoteca. E aqui está a parte mais secreta. É que a discoteca fica a dez quilómetros da minha casa. Tive que utilizar a mota do meu pai que estava em repouso na garagem. Como ele andava em viagem de trabalho, nem deu por isso. Fui de mota para casa do Lobo e elas, mais tarde, vieram ter connosco. Tinha que levar um de cada vez. Ainda estava a arrancar com o Lobo, quando a Alface e a Ovelha começaram uma violenta discussão. O Lobo exclamou logo:

- É pá! Estas miúdas vão nos estragar a festa! Leva a Ovelha, primeiro, se eu fico sozinho com ela, é um desastre.

O Lobo tinha namorado com a Ovelha, mas tinha-a deixado e, agora, andava com a Alface. A Ovelha era muito ciumenta e não suportava ter sido substituída.

Levei a Ovelha, muito contrariada, a olhar para trás, para o Lobo e a Alface, agarradinhos um ao outro. Na segunda viagem, levei a Alface e vi logo que não podia deixá-la junto da Ovelha, à porta da discoteca. De maneira, que trouxe esta de volta. Deixei-a em casa do Lobo e levei este para ao pé da Alface. Depois, na quarta viagem, levei de novo a Ovelha.

- E no regresso? - perguntei eu.

- Bem, no regresso já não houve problema nenhum. A Ovelha contou-me por que razão se comportava assim com o Lobo e com a Alface. Agora compreendo-a melhor. E ela nem é nada assim de estar sempre a lamentar-se como dizem lá na turma... Pois, é que, agora, ela namora comigo! 

Um dia, contei resumidamente, esta versão do enigma ao meu amigo que é professor de Matemática, sem me referir ao Pedro. Ele interrompeu-me:

- É a história que o Pedro contou na aula a seguir ao teste que foi dedicada a enigmas. Todos se riram muito, pois há lá mesmo um lobo, uma ovelha e uma alface.

publicado por Redes às 00:55
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Avaliação da Homeopatia

. Deve o exame condicionar ...

. Bloomberg desvaloriza efe...

. Tratados ortográficos int...

. Acordo Ortográfico: Decla...

. Aniversário da Revolução ...

. Encontro sobre o Acordo O...

. O Acordo Ortográfico entr...

. O reino de Walter Hugo Mã...

. Defesa da escola pública ...

.Blogs das minhas desoras

.Extreme Tracking

eXTReMe Tracker

.Wikipédia

Support Wikipedia

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO