Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

Debate sobre o ensino da gramática em França: objeções equívocas

Há grandes mudanças a ocorrer no ensino em França. Aos pequenos ajustamentos no ensino da gramática, há vozes críticas que me parecem pouco autorizadas.

Ao lê-las, ficamos com a impressão de que o COD (complemento de objeto direto) e o COI (complemento de objeto indireto) eram, antes, ensinados sem a noção de predicado.

E se for mesmo esse o caso, acho que está errado.

Além disso, dá vontade de dizer: lá como cá! Como vão os pais poder ajudar os filhos?

Ao mesmo tempo que se critica o "nivelamento por baixo", objeta-se à dificuldade dos pais em compreenderem a substituição do complemento circunstancial por complemento de frase.

Entre nós, o problema foi resolvido com a distinção entre modificadores e complementos, por um lado, e com a introdução do complemento oblíquo, por outro, dando assim conta dos casos em que o grupo de palavras é selecionado pelo verbo e daqueles em que é facultativo.

Vejam por favor este título: 

Réforme de la grammaire : polémique sur le prédicat, qui remplace COD et COI.

Lá como cá, pois claro, como um bloquista o expressa:

"Le "prédicat" semble être le nouveau prétexte choisi par les opposants à toutes les réformes - je les appelle génériquement: les "anti-tout" - pour alimenter une polémique dont seul ce pays a le secret."

Christophe Chartreux, no seu blogue, "Le prédicat?... Une nouveauté?... Diable!...", in Vivement l'Ecole!

Eu preferia que o "complément de phrase" fosse considerado parte do predicado e não me parece boa esta definição:

"Le prédicat est constitué de tous les mots qui n’appartiennent ni au groupe sujet ni au(x) groupe(s) complément(s) de phrase. C’est le groupe construit autour du verbe principal d’une phrase. Il contient donc le verbe principal et tous les éléments qui en dépendent." [destaques meus]

O predicado aqui é constituído apenas pelos elementos selecionados pelo verbo. Isso tem provavelmente relação com o forte pendor funcionalista do ensino da gramática em França (talvez a escola de André Martinet ainda vigore por lá) que diverge da nossa orientação em que domina uma perspetiva globalizante da frase que considera a adjunção de elementos na frase em termos de relação mais forte entre núcleo ("head", em inglês) e complementos ou mais fraca com modificadores de "head". 

No exemplo dado por Christoff

"[Dans la foret], [le chien de Leo] [porsuit un Lapin]",

"dans la foret" é complemento de frase e não faz parte do predicado que é "porsuit un Lapin". Ora, sem me alongar muito, nós podemos mostrar que há uma ligação ao verbo que é o núcleo da frase, embora não seja a mesma que tem "un lapin".

Modificando a frase, acrescentando-lhe um elemento, verificamos isso:

"Curieusement, le chien de Léo porsuit un lapin dans la forêt"

"Curieusement" não responde a nenhuma indagação feita ao verbo. Agora, em Português para simplificar, nem a pergunta

"É curiosamente que o cão de Léo persegue um coelho na floresta?"

nem a negação

"Não é curiosamente que o cão de Léo persegue um coelho na floresta"

fazem sentido.

Se fizermos o mesmo teste com "dans la foret" obtemos a prova de que este grupo se integra no "predicado":

"É na floresta que o cão de Léo persegue um coelho?"

"Não é na floresta que o cão de Léo persegue um coelho"

Será a introdução da noção de predicado um sinal de mudança da França para o sentido em que nós já há alguns anos navegamos?

publicado por Redes às 22:45
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30


.posts recentes

. O lugar do livro - Cortez...

. Porque mataram Hugo Betta...

. Debate sobre o ensino da ...

. "Tablets" e computadores ...

. Desventuras de Maria do C...

. A revolução russa vista p...

. Processos de transformaçã...

. "Colectivos" - o partido ...

. Nicolás Maduro defendido ...

. Avaliação da Homeopatia

.Blogs das minhas desoras

.Extreme Tracking

eXTReMe Tracker

.Wikipédia

Support Wikipedia

.arquivos

. Abril 2018

. Janeiro 2018

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO